No dia 8 de março, é comemorado o dia Internacional da Mulher. Trata-se de uma celebração de conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos.

A busca de direitos é longa!

Você já deve saber que as mulheres buscam há muitos anos, direitos iguais, empoderamento e a libertação de padrões. De acordo com Maggie Humm e Rebecca Walker, a história do feminismo pode ser dividida em três “ondas”. A primeira ocorreu no século XIX e início do século XX, a segunda nas décadas de 1960 e 1970 e a terceira na década de 1990 até a atualidade.

E o que as bicicletas tem a ver com essa luta?

A história das mulheres que pedalam já começa nesta primeira onda, já que antes dependiam da ajuda dos homens para levá-las onde queriam ir e foi a partir da bicicleta que começaram a se locomover conforme sua vontade e disposição, conquistando mais liberdade. Elas passaram então, a circular mais pelos espaços públicos e a ter mais autonomia.  “Andar de bicicleta fez mais pela emancipação da mulher do que qualquer outra coisa no mundo”, dizia a feminista americana Susan Anthony, no final do século XIX. E sabe porquê? A magrela deu não só liberdade de locomoção para as mulheres mas ainda as ajudou a mudar a maneira como se vestiam.

A bicicleta trouxe às mulheres liberdade de movimento e uma mudança na forma como elas se locomovem, deixando um legado que se estende até os dias de hoje. Ela já está há mais de um século, no meio das lutas e conquistas de direitos, acompanhando as mulheres que batalham por uma sociedade mais justa e igualitária.

Vamos de e-bike!

A jornada das mulheres hoje, tende a ser dinâmica e movimentada. Muitas precisam estar em vários lugares em pouco tempo e a bicicleta ainda é um modal que pode ajudar a locomoção de uma maneira rápida, eficiente e sustentável! E claro, que as bikes elétricas têm contribuído ainda mais para facilitar a vida de todas elas, até pedalar e usar salto alto é possível com as e-bikes. Além disso, elas são práticas, econômicas e garantem qualidade de vida, tempo para fazer o que gostam e autonomia para se locomover quando e para onde quiserem, por isso podem sim fazer diferença na vida das mulheres e ajudá-las a construir um futuro cada vez mais igualitário e livre. E você, como acha que as e-bikes impactam na sua vida?

 

Referências:

  • Vá de Bike – Emancipação Feminina [03/2013]

COMPARTILHAR: