O futuro da mobilidade!
Geral

O futuro da mobilidade!

A recomendação da OMS é clara, o isolamento social é a melhor maneira de evitar o contágio pelo novo coronavírus! E é neste contexto de recomendações que limitam os deslocamentos que vamos viver por um bom período, mas também é tempo de repensar os meios de locomoção tradicionais e escolher modais mais seguros e sustentáveis, principalmente no período pós pandemia. 

Após tantas transformações, vamos vivenciar um novo normal e a mobilidade será pauta forte nesse novo jeito de viver e conviver. Vai ser necessário fazer diferente, não podemos mais continuar com as mesma práticas. O planeta pede socorro e é este o momento de mudarmos. O modo como nos locomovemos impacta diretamente no meio ambiente e agora, mais do que nunca, em nossa própria segurança. 

As cidades e nós, como cidadãos, vamos ter que encarar todos esses desafios com medidas que promovam mudanças em nosso estilo de vida e na maneira de ir e vir. Para manter as cidades em movimento, é preciso oferecer todas as opções compartilhadas disponíveis: ônibus, metrô, carros de aplicativo, mas principalmente no período pós pandemia, visando a segurança e bem estar de todos e do globo, a bicicletas será uma das melhores opções, assim como também, toda a micromobilidade em si. No mundo todo já vemos uma adaptação e a forte inserção da bicicleta na rotina, principalmente para quem ainda precisa se deslocar durante a pandemia. 

A cidade de Nova Iorque, por exemplo, está abrindo mais espaços para os ciclistas com o objetivo de apoiar o aumento repentino no uso dos modos de transportes individuais nos deslocamentos de curta distância.

Em Bogotá, na Colômbia, foram adicionados 76 quilômetros de ciclovias em pouquíssimo tempo para suportar mais ciclistas e evitar a aglomeração nos transportes públicos. 

A Cidade do México e Londres percebem cada vez mais os benefícios de anos de investimento na expansão da rede cicloviária, que vem sendo cada vez mais utilizada, assim como em Berlim, em que as bicicletarias agora, são consideradas como serviços essenciais. 

Este é o momento de repensar o nosso modo de locomoção para que o período pós pandemia seja mais seguro e sustentável para todos. A bicicleta entra nesse cenário como mais força e importância, por ser um transporte individual e ao ar livre que evita aglomerações e lugares fechados, além de não poluir o meio ambiente, já que não emite CO2 e é ideal para curtas e médias distâncias. Mais do que nunca, chegou a hora de nos reinventar e pensar na bicicleta como uma solução efetiva e segura para a locomoção durante e pós pandemia. O planeta e a humanidade agradecem! 

Artigos Relacionados